Acordo prevê remuneração para conservação de florestas

segunda-feira, 25 de abril de 2022

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade firmou acordo de cooperação técnica, com o BNDES, para realização de estudos de viabilização de concessões de Pagamento por Serviços Ambientais e de créditos de carbono em Unidades de Conservação Florestal.

 

De acordo com o BNDES, o modelo é inédito no país e representa um passo pioneiro para transformar a conservação da floresta em atividade rentável para a população local.

 

Através do Programa Floresta+ Carbono será possível prever a geração de créditos de carbono por meio da conservação e recuperação da vegetação nativa, além de gerar alternativa de renda para os brasileiros que vivem na Amazônia e outros biomas.

 

O projeto será executado em duas etapas. Após estudo de áreas e viabilidade da concessão, será feita a estruturação de três potenciais projetos de concessão para proteção e regeneração de seis unidades de conservação na Amazônia.

Compartilhar:

Leia Também