Alimentação escolar tem papel protetor contra doenças crônicas

quinta-feira, 04 de fevereiro de 2021

Pesquisadores da Universidade Estadual do Ceará, da Universidade Federal do Rio de Janeiro e da Universidade do Estado do Rio analisaram os efeitos das refeições feitas nas escolas.

 

Dados de estudo publicado na última edição da revista “Cadernos de Saúde Pública”, mostram que adolescentes que consomem alimentos fora de casa apresentam menos propensão a desenvolver hiperglicemia e hipertensão.

 

Esse recorte aparece na análise dos jovens que faz a maioria das refeições na escola, sobretudo entre os alunos da rede pública. Foram analisadas as refeições e a saúde de quase 37 mil jovens de 12 a 17 anos.

 

Para investigar a relação entre o consumo de alimentos fora de casa e a propensão de adolescentes desenvolver doenças crônicas, os pesquisadores utilizam dados do Estudo de Riscos Cardiovasculares em Adolescentes, cuja sigla é ERICA, feito em 2013 e 2014.

Compartilhar:

Leia Também