Aluna faz casa impressa 3D em 48h. Vai representar Brasil na Rússia

segunda-feira, 28 de setembro de 2020

Uma solução idealizada por uma estudante de Engenharia fez com que as paredes da casa fossem levantadas em apenas 48 horas, com impressão em 3D.

 

 

A jovem Juliana de Almeida Martinelli está no 9º semestre do curso de Engenharia Elétrica, em Brasília e, com essa ideia, é uma das cinco selecionadas para integrar a Comissão da Juventude do BRICs, o grupo de países em desenvolvimento.

 

 

O equipamento criado por Juliana produz placas de concreto para facilitar a montagem de casas, com preços mais acessíveis. Além disso, as construções feitas com a impressora são mais limpas, seguras e sustentáveis.

 

 

Uma casa já foi construída em Natal, no Rio Grande do Norte, por meio de tecnologia que imprimiu o concreto. O principal impacto do projeto na indústria nacional da construção está na otimização de todo o processo, desde a execução da planta até a redução de desperdício de materiais.

Compartilhar:

Leia Também