Auxílio emergencial ajudou a estabilizar índices econômicos relacionados ao PIB

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2021

O auxílio emergencial, benefício instituído no Brasil devido à início da pandemia, foi um desses projetos que tentaram atenuar a recessão econômica no país. E a USP fez uma avaliação do impacto dessa ajuda na renda familiar.

 

De acordo com um estudo feito pelo Centro de Pesquisa em Macroeconomia das Desigualdades, da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP, o auxílio foi justamente o que fez estabilizar a razão dívida, em relação ao PIB – Produto Interno Bruto.

 

Quem recebe o auxílio tem tendência maior a consumir a maior parte da renda, isso acaba estimulando as atividades econômicas. Para efeito de comparação, a expectativa é de que o PIB de 2020 caia 4,3%, sendo que poderia cair até 15% na ausência do benefício.

 

A metodologia para esse cálculo foi feita considerando quais programas poderiam ser usados de forma equivalente ao auxílio, tentando achar qual seria o efeito multiplicador do auxílio emergencial em si. E houve esse efeito do início da iniciativa com o passar do tempo, entre R$ 1 a R$ 2,40

Compartilhar:

Leia Também