Balanço da doação de órgãos entre janeiro e agosto no mundo

quarta-feira, 30 de setembro de 2020

Apresentado um balanço sobre a doação de órgãos, tecidos e células em todo o país neste ano. Ao longo do período, entre janeiro e julho, o órgão mais transplantado no Brasil foi o rim, com aproximadamente duas mil e setecentas intervenções.

 

 

O fígado também teve alto índice de transplante, com cerca de 1100 órgãos. Na sequência estão coração, pâncreas, pulmão, córnea e medula óssea. Mesmo com bons números, a pandemia trouxe um impacto para a doação de órgãos.

 

 

Em todo o mundo, o número de transplantes sofreu um impacto provocado pela Covid-19. De janeiro a julho, foram cerca de 10 mil procedimentos. O número é mais baixo do que em 2019, mas mesmo assim o país não paralisou os programas de transplantes.

 

 

Uma boa notícia é que neste ano houve redução da taxa de recusa familiar para a doação de órgãos. A taxa caiu de 39,9%, no período de janeiro a julho de 2019, para 37,2% no mesmo período de 2020. Até 23 de outubro, o tema é parte de uma campanha de incentivo às doações de órgãos.

 

 

Compartilhar:

Leia Também