Baleias do Alasca são acompanhadas e se mostram mais felizes

segunda-feira, 06 de setembro de 2021

A pandemia interrompeu o turismo no Alasca no ano passado. O momento é ideal para acompanhar o movimento dos mares da região. É o que fazem dois pesquisadores americanos, que avaliam o nível de som artificial.

 

E o nível de som caiu drasticamente em relação aos níveis de 2018, especialmente nas frequências mais baixas geradas pelos enormes motores dos navios de cruzeiro.

 

Tudo isso proporcionou aos pesquisadores uma oportunidade de estudar o comportamento das baleias em um tipo de ambiente silencioso que não existia na área há mais de um século. Ao analisar dados dos hidrofones e aproveitar para fotografar e identificar as baleias, já se nota mudanças.

 

Durante um verão normal, área circundante apresenta um tráfego intenso – tráfego marítimo que caiu cerca de 40%.

Com os áudios gerados foi possível comparar a atividade das baleias de agora com anos anteriores. E o resultado é que as jubartes estão dispersas por áreas maiores da baía, podem ouvir umas às outras e as mães até deixam seus filhotes mais à vontade. A maior surpresa diz respeito aos cantos das baleias, que se tornaram mais variados e demonstram o quanto estão felizes.

Compartilhar:

Leia Também