Biólogo mapeia quaresmeiras na Mata Atlântica com inteligência artificial

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2022

Biólogo utiliza a inteligência artificial para determinar a ocorrência e a distribuição de árvores quaresmeiras, por meio de sua floração em todo o domínio da Mata Atlântica.

 

Para isso, Fabien Wagner utilizou imagens de satélite de acesso gratuito e o chamado deep learning, um recurso de inteligência artificial. A detecção é possível por meio da coloração das flores da quaresmeira, cujos tons variam do magenta ao roxo.

 

Capturadas por imagens de satélite disponíveis gratuitamente, entre junho de 2016 e julho de 2020, as manchas roxas foram posteriormente identificadas e diferenciadas de outras árvores com o auxílio de recursos de uma rede neural, o deep learning.

 

Segundo Wagner, que é pesquisador na Fundação de Ciências, Aplicações e Tecnologia Espacial de São José dos Campos, mapear a distribuição espacial de uma planta é um desafio em ecologia e esta é a primeira vez que esta metodologia é usada. A rede neural foi treinada por ele, com imagens, para reconhecer as flores da quaresmeira e outras ocorrências parecidas, como o ipê-roxo, por exemplo.

Compartilhar: