Bioplástico biodegradável, comestível e antimicrobiano é criado na Unesp

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2022

Mais um grupo de pesquisadores se debruça em criar um produto que ajude a diminuir o uso dos recursos fósseis na produção de plásticos. Desta vez a contribuição é da Unesp – Universidade Estadual de São Paulo, em Ilha Solteira.

 

O estudo, realizado pelo Grupo de Compósitos e Nanocompósitos Híbridos, do Departamento de Física e Química, chegou a um “bioplástico”, que além de evitar a contaminação do meio ambiente pode prolongar a vida útil dos alimentos.

 

Para fabricar seu “bioplástico”, o grupo utilizou como matéria-prima principal a gelatina incolor de tipo B, extraída do tutano de boi e facilmente encontrado no mercado. Para melhorar o produto os pesquisadores adicionaram um tipo de argila para obter um material equiparado ao plástico feito a partir de petróleo.

 

Com a adição da argila, foi obtido um filme mais homogêneo. Além da argila foi acrescentada também uma emulsão de óleo essencial de pimenta-preta. O objetivo, no caso, foi conseguir uma embalagem comestível.

Compartilhar:

Leia Também