Cientistas brasileiros criam células cerebrais vivas em 3D

quinta-feira, 27 de janeiro de 2022

Pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo desenvolveram uma técnica para criar células cerebrais vivas usando uma impressora 3D.

 

O estudo, apoiado pela FAPESP, pretende recuperar as áreas prejudicadas do cérebro em casos de AVC e outras doenças.

 

Para recuperar áreas lesionadas, as células neurais são colocadas em umas mistura chamada de Biotina, composta por polímetros naturais que permitem aos astrócidos, que são um tipo de célula cerebral, sobreviverem por pelo menos 14 dias em laboratório.

 

O protocolo foi desenvolvido com células de camundongos, mas usa materiais biocompatíveis que podem ser adaptados para o estudo de células humanas.

Compartilhar:

Leia Também