Cientistas desenvolvem métodos rápidos para monitorar a qualidade do álcool em gel

domingo, 11 de outubro de 2020

Pesquisadores brasileiros desenvolveram métodos analíticos para avaliar o teor de etanol nos antissépticos recomendado pela Anvisa – entre 62% e 71% – para assegurar a eficiência na desativação do coronavírus.

 

 

Os métodos foram descritos em dois artigos internacionais. Fazem parte da pesquisa cientistas do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Tecnologias Analíticas Avançadas, vinculados à Unicamp e à Universidade Federal de Viçosa.

 

 

As análises utilizadas se baseiam no uso de espectroscopia no infravermelho e no infravermelho próximo. Esse último requer um equipamento de custo mais alto e acessórios especiais, também mais caros, para a obtenção das medidas necessárias.

 

 

Os dois métodos produzem informações da mesma natureza, associadas às características das estruturas químicas dos compostos presentes nas amostras analisadas. No caso do infravermelho, o método é muito rápido – uma análise demora cerca de 2 minutos, aplicado diretamente na amostra.

 

 

O uso da metodologia pode ajudar a reduzir fraudes na produção de antissépticos baseados no álcool para higienização das mãos e superfícies, uso obrigatório em locais públicos, recintos comerciais e residenciais em função da pandemia de COVID-19. 

Compartilhar:

Leia Também