CMN reduz juros de créditos do Funcafé para incentivar produção e vendas do setor

segunda-feira, 31 de agosto de 2020

 

O Conselho Monetário Nacional reduziu em 0,75 ponto percentual as taxas de juros das operações de crédito rural aplicadas ao Funcafé – Fundo de Defesa da Economia Cafeeira.

 

 

A medida tem o objetivo de incentivar a produção e comercialização do café. A nova proposta é direcionada às  linhas de créditos para custeio, comercialização, financiamento de aquisição por cooperativas e recuperação de cafezais.

 

 

Segundo o conselho, as taxas foram reduzidas de até 6% ao ano para até 5,25% ao ano. Em 2020, o valor total autorizado para este fundo ultrapassou 5 bilhões de reais, de acordo com informações do Ministério da Agricultura.

 

 

O crédito rural para capital de giro das indústrias passou a ser de até 6,75% ao ano, enquanto a linha de crédito para remuneração do Funcafé foi reduzida a 2,25% ao ano. Além do consumo interno de café que é alto, os produtores são incentivados a atender o amplo mercado internacional.

Compartilhar:

Leia Também