Cuidar de pets retarda o declínio cognitivo de idosos, aponta estudo

quarta-feira, 23 de março de 2022

Um novo estudo apontou que idosos que são tutores de algum animal de estimação tendem a ter um declínio cognitivo menos acelerado em comparação com aqueles que não têm.

 

Os resultados são fruto de uma pesquisa da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos. Os pesquisadores examinaram os dados de mais de 1.300 pessoas, com média de idade de 65 anos. 53% delas declararam serem tutores de pets.

 

Todos os participantes foram submetidos a testes cognitivos, como exercícios de memória com palavras, exercícios matemáticos de subtração e contagem numérica. O acompanhamento durou seis anos, e de tempos em tempos os testes eram refeitos.

 

Notou-se que os idosos que cuidavam de pets tinham uma diminuição mais lenta em suas pontuações de funções cognitivas em comparação com quem não tinha nenhum bichinho. Os que cuidavam de animais há mais tempo foram mais beneficiados ainda.

Compartilhar:

Leia Também