Equipamento desenvolvido em SP diagnostica doenças sem uso de reagentes e anticorpos

quarta-feira, 26 de agosto de 2020

 

Pesquisadores do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais, em Campinas, apresentaram a proposta de um novo conceito de análise clínica baseada no uso de um sensor eletroquímico microfluídico.

 

 

O equipamento tem potencial para tornar mais prático e econômico o diagnóstico e prognóstico de diversas doenças. O método também visa a obter resultados seguros sem a dependência de insumos caros e escassos como anticorpos.

 

 

O dispositivo usa materiais de baixo custo. São eletrodos de grafite, constituídos de minas de lápis, do mesmo tipo usado em lápis escolares, atuam como sensores de padrões eletroquímicos.

 

 

Conectados a um equipamento portátil capaz de medir a impedância da corrente elétrica  e a um smartphone é possível determinar, em menos de 15 minutos, a presença e a concentração de biomarcadores em amostras com mínimos volumes de sangue.

 

 

O processo leva cerca de 10 minutos, é simples e tem custo estimado em pouco menos de R$ 50 por amostra. A análise pelo sensor leva menos de 5 minutos e o resultado do diagnóstico é mostrado automaticamente na tela do smartphone.

Compartilhar:

Leia Também