Estudantes brasileiros desenvolveram projeto que trata água com substância extraída da casca da laranja.

segunda-feira, 15 de junho de 2020

A Escola Técnica Estadual Irmã Agostina, da capital paulista, vai representar o Brasil no Prêmio Jovem da Água de Estocolmo após vencer a etapa nacional da competição.

O trabalho vencedor tem um nome peculiar: “Atividade biofloculante da pectina extraída da casca da laranja para tratamento de efluentes líquidos”. O projeto foi desenvolvido pelos alunos Daniel Santos e Iago Martins, do curso técnico em Química.

Os estudantes identificaram na casca da fruta uma substância, a pectina, que se mostrou capaz de substituir o produto tóxico que geralmente é aplicado para eliminar a turbidez da água.
A apresentação final dos projetos ocorreu no início de junho pela plataforma digital da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental. A etapa internacional do prêmio está programada para agosto, durante a Semana Internacional da Água, na capital da Suécia.

Compartilhar:

Leia Também