Estudo observa brasileiros por 22 anos e cria sistema para prever transtorno bipolar

quarta-feira, 16 de setembro de 2020

Pesquisadores de várias partes do mundo conseguiram criar um sistema para prever com um período de antecedência de pelo menos quatro anos o desenvolvimento de transtorno bipolar.

O estudo começou em 1993, com os 3.810 brasileiros nascidos em Pelotas, no Rio Grande do Sul. Eles permaneceram monitorados por mais de duas décadas e são a base para o estudo divulgado nesta semana.

Os pesquisadores criaram um modelo capaz de relacionar os fatores e prever as chances da doença. Os sinais são comportamentais, mas também genéticos. Eles usaram técnicas de machine learning, área que estuda e reconhece padrões, inteligência artificial e criação de algoritmos.

Os cientistas apresentaram os resultados no Congresso do Colégio Europeu de Neuropsicofarmacologia. O artigo foi aprovado por uma revista científica, e o trabalho foi financiado pela Associação Brasileira de Saúde Coletiva, uma parceria entre a Universidade Federal de Pelotas  com as universidades de Hamilton, no Canadá, e do Texas, nos Estados Unidos.

 

Compartilhar: