Hipertensos casados têm mais chances de controlar pressão do que solteiros, sugere estudo

sexta-feira, 05 de fevereiro de 2021

Pesquisa da Escola de Enfermagem da USP sugere que o estado civil pode interferir no índice de controle da pressão arterial das pessoas.

 

Realizado com dados de 253 pacientes atendidos em um ambulatório de alta complexidade do Hospital das Clínicas de São Paulo, mulheres e homens casados ou aqueles que vivem em união estável têm 2,3 vezes mais chances de controlar a hipertensão do que os solteiros, viúvos e divorciados.

 

O grupo estudado era composto de 39% homens e 62% mulheres, todos acima de 18 anos. A maioria era casada e com ensino médio completo. Entre as informações coletadas estão as biossociais, como como renda, raça e idade, tabagismo, consumo de álcool, estilo de vida e saúde. A avaliação é feita por escala terapêutica.

 

Além de mostrar que homens e mulheres casados ou que viviam em união estável tinham mais chances de controlar a pressão arterial, o estudo também observou que 69,2% dos hipertensos estavam com a pressão arterial controlada e 90% informaram fazer tratamento medicamentoso.

 

Esses achados chamaram a atenção dos pesquisadores, principalmente a taxa de controle dos hipertensos, semelhante à de países desenvolvidos.

 

A pesquisa recebeu prêmio no 27º Congresso da Sociedade Brasileira de Hipertensão como melhor trabalho da área multidisciplinar.

Compartilhar:

Leia Também