Ímãs no cérebro ajudam a aliviar sintomas da depressão

quarta-feira, 10 de novembro de 2021

Pesquisadores da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, alegam ter descoberto um tratamento inovador contra a depressão. A ideia é tratar os pacientes com ímãs que têm a função de estimular o cérebro.

 

Segundo os cientistas, quase 80% dos voluntários tiveram remissão da depressão após o procedimento. O tratamento foi chamado de terapia de neuromodulação de Stanford.

 

Porém, a técnica não é exatamente uma novidade. A técnica é uma versão modificada da estimulação magnética transcraniana, que funciona levando altas doses de pulsos magnéticos ao cérebro do paciente.

 

O método novo funciona com um dispositivo conectado com bobinas magnéticas colocadas do lado de fora do crânio. O tratamento leva apenas cinco dias e é personalizado com base nos resultados de exames de ressonância magnética.

 

Essa é uma forma de tentar aliviar a depressão em caráter emergencial, comprimindo a estimulação de seis semanas para um dia. Esta primeira pesquisa descobriu que o método de neuromodulação ajudou a aliviar a depressão em 90% dos participantes.

Compartilhar:

Leia Também