Nova técnica do Incor beneficia pacientes que não podem fazer transplante convencional

sexta-feira, 24 de dezembro de 2021

Um paciente que estava com 75% do coração sem funcionamento foi o primeiro a se beneficiar de um novo tipo de transplante cardíaco, que utiliza um coração artificial mecânico.

 

A técnica utilizada foi desenvolvida por cientistas do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas (InCor) e poderá virar referência ao unir um conhecimento antigo com a modernidade do estudo dos corações artificiais.

 

A tecnologia busca resolver um problema causado pela hipertensão pulmonar, quando há uma tensão alta nos pulmões, que impossibilita que seja realizado o transplante cardíaco comum. Este primeiro paciente permitiu um estudo bem detalhado de todo o quadro clínico.

 

O InCor realiza entre 50 e 55 transplantes de coração por ano. Desses, estima-se que de dois a três casos por mês recebam contraindicação do transplante cardíaco normal. Esses pacientes serão avaliados para realizar o novo tipo de transplante.

Compartilhar:

Leia Também