Iniciativa vai investir R$ 24 milhões em produtores que conservarem Amazônia

domingo, 11 de outubro de 2020

Produtores rurais da Amazônia serão pagos para conservar matas que, por lei, poderiam ser derrubadas dentro de suas propriedades.

 

 

A iniciativa foi lançada pelo Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia, em parceria com duas fundações climáticas internacionais.

 

 

Baseado em três anos de estudos, o instituto criou um mecanismo privado de compensação pelo chamado excedente de reserva legal, ou seja, a área com vegetação que o proprietário rural na Amazônia Legal preserva além dos 35% a 80% obrigatórios pelo Código Florestal.

 

 

O Conserv começou a operar neste semestre em Mato Grosso. Os proprietários rurais que escolhem participar receberão pagamentos semestrais pela manutenção da vegetação, após análise periódica da área contratada.

Compartilhar:

Leia Também