Italiana recebe prêmio de instituto brasileiro por estudar a ELA

sexta-feira, 06 de dezembro de 2019

A cientista italiana Laura Ferraioulo, que tem base de pesquisa na Austrália, recebeu o prêmio Paulo Gontijo, dedicado a pesquisas sobre as causas e a cura da Esclerose Lateral Amiotrófica.

 

O trabalho premiado foi realizado por um grupo de neurocientistas que têm se dedicado a identificar como a comunicação entre moléculas que estão no interior das células podem ajudar na sobrevivência dos neurônios.

 

A descoberta da cientista pode influenciar no tratamento da ELA. Estima-se, também, que cerca de 200 mil pessoas tenham a doença no mundo. Só no Brasil, cerca de 15 mil.

 

Anualmente, o Instituto Paulo Gontijo, com parcerias internacionais, destaca trabalhos que visam encontrar respostas para a doença que atinge o sistema nervoso de forma progressiva e degenerativa.

Compartilhar:

Leia Também