Laser mapeia clareiras na Amazônia e auxilia estudos sobre mortalidade das árvores

segunda-feira, 21 de junho de 2021

Usando um modelo inovador, um grupo de pesquisadores, liderados por brasileiros, conseguiu mapear clareiras na Amazônia e apontar fatores que contribuem para a mortalidade das árvores.

 

Os dados, coletados por meio da técnica LiDAR, permitiram analisar lugares longínquos na Amazônia brasileira, onde os trabalhos de campo são muito difíceis e as imagens de satélite podem ser imprecisas, principalmente por causa da grande quantidade de nuvens.

 

A técnica consiste em lançar de um avião milhares de feixes de laser, que acertam a superfície da terra (seja floresta ou solo) e retornam para o equipamento na velocidade da luz. Assim, é possível determinar a altura dos objetos por meio da diferença de tempo entre o disparo e o recebimento do feixe.

 

O método chega a fornecer dados com precisão de cerca de um metro, permitindo mapear as clareiras com muito detalhamento. Na pesquisa, os cientistas usaram um banco de dados com mais de 600 sobrevoos feitos sobre a floresta.

Compartilhar:

Leia Também