Nanossatélite produzido pela UFSM é lançado no Cazaquistão

sexta-feira, 26 de março de 2021

O nanossatélite desenvolvido pela Universidade Federal de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, e pelo Inpe – Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, foi lançado, no início da semana, no Cazaquistão.

 

O equipamento foi levado até a órbita a bordo de um foguete russo. Com sensores capazes de medir o campo magnético da terra, o nanossatélite tem uma caixa com menos de dois quilos e vai ficar na órbita a uma distância de cerca de 600 quilômetros da terra.

 

O equipamento vai ajudar a mapear problemas que podem afetar as comunicações, redes de distribuição de energia, sinais de GPS, falhas de equipamentos eletrônicos e o funcionamento de outros satélites.

 

As informações serão enviadas diariamente para a base que fica na Universidade gaúcha. O programa é responsável pelo lançamento, em 2014, do primeiro nanossatélite brasileiro, que ainda continua em órbita.

Compartilhar:

Leia Também