ONU reconhece povos indígenas como os melhores guardiões das florestas

sábado, 24 de abril de 2021

As taxas de desmatamento na América Latina e no Caribe são significativamente mais baixas em áreas indígenas e de comunidades tradicionais. Melhorar a segurança da posse desses territórios é uma maneira eficiente e econômica de reduzir as emissões de carbono.

 

Essa é uma das principais conclusões do novo relatório Povos indígenas e comunidades tradicionais e a governança florestal, da FAO – Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura e do Fundo para o Desenvolvimento dos Povos Indígenas da América Latina e do Caribe.

Com base em uma revisão de mais de 300 estudos publicados nas últimas duas décadas, o documento revela pela primeira vez até que ponto a ciência tem mostrado que os povos indígenas têm sido melhores guardiões de suas florestas em comparação com os responsáveis pelas demais florestas.

 

Os melhores resultados foram observados nos territórios de com títulos legais coletivos reconhecidos: entre 2000 e 2012, as taxas de desmatamento nesses territórios na Amazônia boliviana, brasileira e colombiana foram apenas um terço das de outras florestas com características ecológicas semelhantes.

Compartilhar:

Leia Também