Paraisópolis contrata médicos e ambulâncias, distribui mais de mil marmitas por dia e se une contra o coronavírus

segunda-feira, 15 de junho de 2020

Em uma das maiores comunidades de São Paulo, a circulação de médicos, enfermeiros e socorristas se tornou comum nas últimas duas semanas.

E o movimento foi criado pela própria comunidade. Os moradores se uniram no combate ao coronavírus, e, por conta própria, contrataram uma equipe médica e ambulâncias que ficam 24h à disposição da população local.

Em uma parceria da União de Moradores com a Associação das Mulheres de Paraisópolis e o G10 das Favelas (instituição que reúne líderes de 10 grandes favelas no Brasil), surgiu o “programa de socorro” à comunidade na Zona Sul de São Paulo.

Foram escolhidos 420 “presidentes de rua”, voluntários que são responsáveis por zelar por trechos de vias predefinidos, cada uma com cerca de 50 casas. Eles têm a missão de monitorar se algum morador de sua região tem sintomas da Covid-19 ou se precisa de atendimento médico. Outra tarefa é a de identificar as famílias que estão com a renda reduzida ou mesmo sem renda e que estejam passando fome.

Compartilhar:

Leia Também