Pela 1ª vez na história, graduações à distância têm mais alunos novos do que as presenciais, diz Inep

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2022

Os dados do Censo de Educação Superior, referente ao ano de 2020, já refletem mudanças trazidas pela pandemia. O principal fator é o crescimento do Ensino a Distância.

 

Pela primeira vez na história, os cursos de graduação à distância no Brasil receberam mais alunos novos do que os presenciais, tanto na rede pública quanto na privada.

 

Segundo o balanço, dos mais de 3 milhões e 700 mil ingressantes no ensino superior em 2020, 53% optaram pela modalidade à distância, enquanto 46% escolheram cursos presenciais (que só adotaram atividades remotas de forma provisória, por causa da pandemia).

 

Considerando todos os alunos de EAD (não só os ingressantes), há um perfil mais comum: jovens de, em média, 26 anos, que cursam o grau acadêmico de licenciatura (ou seja, que querem atuar como professores).

Nos cursos presenciais, a idade média dos matriculados é inferior (21 anos), e o grau predominante é o de bacharelado.

Compartilhar:

Leia Também