Pesquisadores da UnB desenvolvem bioestimulante que deixa a planta mais resistente à seca e mais produtiva

segunda-feira, 04 de janeiro de 2021

Pesquisadores da Universidade de Brasília desenvolveram uma substância que ajuda as plantas a produzirem mais e a resistir à seca.

 

A substância é uma partícula minúscula, invisível a olho nu, que, diluída em água, forma um estimulante para a planta. Trata-se da arbolina, objeto de estudo dos pesquisadores há 7 anos em laboratórios de nanotecnologia.

 

Por enquanto, os profissionais preferem manter todo o processo da arbolina em sigilo. Revelam apenas que é uma substância orgânica, inicialmente extraída de uma planta, e que atualmente já é reproduzida em laboratório.

 

Aplicada na planta, a substância entra rapidamente nas células. O produto converte os raios ultravioletas do sol – que são nocivos às plantas – em luz azul, que melhora fotossíntese e, por consequência, o desenvolvimento de diversas culturas. Além disso, a arbolina deixa a planta mais tolerante à falta de água.

Compartilhar:

Leia Também