Pesquisadores descobrem diamantes formados a partir do carbono de seres vivos

quinta-feira, 02 de setembro de 2021

Pesquisadores descobriram que um tipo de diamante bem raro foi formado a partir do carbono presente em organismos que viveram a mais de 400 quilômetros abaixo da superfície.

 

Essa origem é diferente do que se conhece sobre a formação desses cristais brilhantes, que, a grosso modo, são pedaços de carbono submetidos a enormes pressões. Os diamantes oceânicos e os continentais são bem diferentes daqueles que são encontrados em joalherias.

 

Uma das principais diferenças está na variação da assinatura do chamado carbono treze, que pode ser usada para determinar se o carbono tem origem orgânica ou inorgânica.

Com base nessa assinatura, pesquisadores já haviam sugerido que a formação original dos diamantes oceânicos se deu a partir do carbono orgânico que existia nos seres vivos.

 

Esta nova pesquisa, realizada na Austrália, descobriu que os núcleos dos diamantes continentais superprofundos têm uma composição bem parecida com a dos oceânicos. Isso significa que esses cristais também se formaram a partir de criaturas que outrora foram seres vivos.

Compartilhar:

Leia Também