Pesquisadores desenvolvem composto com atividade antimicrobiana à base de óleo de copaíba

sábado, 13 de novembro de 2021

O óleo de copaíba é conhecido na medicina popular como “antibiótico natural da mata” ou “bálsamo da Amazônia”. Uma parceria entre quatro universidades estuda uma forma de potencializar os efeitos bioativos do composto.

 

O objetivo é associar o óleo vegetal com a nanotecnologia “verde”, que recorre a métodos de geração de nanoestruturas com menor impacto ambiental e garantir seus efeitos cicatrizantes e antimicrobianos.

 

O resultado é um novo composto antimicrobiano que combina o óleo de copaíba com nanopartículas de prata produzidas a partir de fungos.

 

A tecnologia poderá ser aproveitada em formulações de antissépticos e antimicrobianos de uso tópico (como cremes e pomadas para a pele), produtos de limpeza e até em tecidos com a função antimicrobiana.

 

A aplicação de nanopartículas de prata no combate a superbactérias e outros microrganismos vem sendo estudada na Unicamp desde 2013. A inovação do composto desenvolvido está na associação com o óleo de copaíba, que também tem atividade de interesse médico e sanitário.

 

A cooperação técnica envolveu treze pesquisadores das Universidades Estaduais de Campinas, Maringá e Londrina, e da Universidade Federal do Amazonas. O intercâmbio resultou no desenvolvimento de um composto de maior eficácia terapêutica, com menores concentrações dos componentes e redução dos efeitos adversos.

Compartilhar:

Leia Também