Pesquisadores desenvolvem haste com impressora 3D para ampliar número de testes de Covid-19

quarta-feira, 23 de setembro de 2020

Pesquisadores da Fundação Osvaldo Cruz de Belo Horizonte estão desenvolvendo uma haste feita a partir de impressão 3D, que pode se tornar um possível aliado na ampliação de testes de Covid-19.

A dificuldade para compra deste cotonete estéril, usado para coleta de amostras do vírus no nariz e na garganta, é apontada como um dos entraves para ampliação de testes RT-PCR pelos laboratórios públicos do estado.

Os chamados “swabs 3D” estão sendo produzidos por um grupo de pesquisadores que já acumula experiência com produção de outro material, os protetores faciais 3D, que também estavam escassos no início da pandemia.

Com o modelo desenvolvido em parceria com uma startup de Uberaba, no Triângulo Mineiro, e as primeiras unidades impressas, a equipe realiza, neste momento, testes para identificar se o swab 3D é capaz de fazer coleta e se esta amostra é compatível com produto já disponível no mercado.

 

Compartilhar:

Leia Também