Plástico comestível é criado por pesquisadoras da Unicamp

segunda-feira, 27 de julho de 2020

 

Na corrida por encontrar soluções ecológicas para o plástico, pesquisa na Unicamp chega a um bioplástico flexível, biodegradável e comestível.

 

O produto foi desenvolvido à base de polímeros naturais de fontes renováveis: amido e gelatina.

 

Por processo de extrusão termoplástica, o amido e gelatina são colados em uma máquina. Ali são submetidos à alta pressão sem aplicação de solventes. O processo seguinte é chamado de sopro e dali se obtém o bioplástico.

 

Apesar do uso de polímeros biodegradáveis não ser nova, a técnica do sopro com materiais comestíveis e não tóxicos é uma solução inédita. O bioplástico já teve seu patente aberto junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial.

Compartilhar:

Leia Também