Começa produção do sexto espelho do Telescópio Gigante Magalhães

sexta-feira, 12 de março de 2021

Os astrônomos querem, cada vez mais, enxergar o Universo de forma mais detalhada. E agora, o Telescópio Gigante Magalhães acaba de anunciar a fabricação do sexto dos sete maiores espelhos monolíticos do mundo, que permitiria isso.

 

Esses espelhos monolíticos permitirão que os astrônomos também vejam ainda mais longe. Medindo 8,4 metros de diâmetro, a altura aproximada de dois andares de um edifício quando colocado na vertical, o espelho está sendo produzido no Laboratório de Espelhos da Universidade do Arizona, nos Estados Unidos.

 

Devido à pandemia, a produção está sendo feita a portas fechadas. Quando estiver operando em sua capacidade máxima, o espelho primário (formado por sete segmentos) terá uma área coletora total de 368 metros quadrados.

 

Para se ter ideia, a capacidade será — suficiente para enxergar a face de uma moeda de 10 centavos de real, que mede 2 centímetros, a aproximadamente 360 quilômetros de distância.

 

O GMT é fruto de um consórcio internacional de universidades e instituições científicas de ponta. O Brasil é um dos sócios fundadores do consórcio, por meio de financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, a Fapesp.

Compartilhar:

Leia Também