Projeto universitário quer levar saneamento às comunidades

sexta-feira, 16 de outubro de 2020

Projeto criado dentro da Universidade Veiga de Almeida, no Rio de Janeiro, quer melhorar o acesso ao saneamento básico, um item que ainda falta a 47% da população brasileira.

 

 

Pensando em caminhos para ajudar a melhorar este cenário, o projeto Saneamento é Vida une empresas que prevê a instalação inicial de 100 biodigestores no Complexo da Maré, no Rio, em regime de mutirão.

 

 

O modelo, de baixa complexidade, já foi experimentado com sucesso em comunidades ribeirinhas na Amazônia e oferece saneamento básico de forma descentralizada e a baixo custo a comunidades vulneráveis do país.

 

 

Os sistemas descentralizados são uma alternativa viável para o problema do saneamento em favelas. Cada biodigestor atende 15 pessoas, a um custo total de pouco mais de R$ 10 mil. Além de dispensar a contratação de grandes empreiteiras, o sistema de biodigestores pode ser construído pelos próprios moradores.

Compartilhar:

Leia Também