Químicos e médicos estão entre os profissionais que dão o alerta.

quinta-feira, 20 de agosto de 2020

 

Eles afirmam que itens descartáveis não são mais seguros do que os reutilizáveis ​​e que, estes últimos, podem ser usados com segurança durante a pandemia desde que se empregue a higiene básica.

 

 

A declaração foi assinada por mais de 120 especialistas de 18 países diferentes e é voltada para varejistas e consumidores. Representando o Brasil está Saulo Delfino Barboza, professor titular do Programa de Mestrado Profissional em Saúde e Educação da Universidade de Ribeirão Preto.

 

 

Com a adoção massiva de medidas higiênicas para conter o novo coronavírus, o uso do plástico descartável – que nunca saiu de cena – voltou a ganhar força. Lobistas do setor de plástico já em março pressionavam para revogação da proibição de itens descartáveis.

Compartilhar:

Leia Também