Reabilitação precoce em UTIs Covid diminui déficits físicos de pacientes

quinta-feira, 18 de março de 2021

A reabilitação precoce de pacientes com Covid-19 ainda nas UTIs minimizaria déficits físicos, depois da alta hospitalar. É o que mostra um estudo da USP, ainda em andamento.

 

A reabilitação poderia ser uma estratégia para que os pacientes de covid pudessem voltar para casa com melhor forma física, com menos demanda de acompanhamento fisioterapêutico e em condições de realizar suas atividades funcionais e laborais, de forma independente.

 

A reabilitação fisioterápica consiste em exercícios cardiorrespiratórios com bicicletas, treinos de sentar e levantar da cama e estabelecimento de uma rotina de exercícios com graduação de peso, andar, dentre outras.

O estudo é realizado em quatros hospitais de São Paulo, dois públicos e dois particulares. A pesquisa já acompanhou 250 pessoas em três momentos distintos: durante o período de internação, na UTI e na enfermaria, e três meses após terem recebido alta.

Compartilhar:

Leia Também