Robô deve ajudar médicos em cirurgias com crianças que sofrem crises epilépticas

segunda-feira, 03 de maio de 2021

Pesquisadores da Escola de Engenharia de São Carlos estão desenvolvendo um robô para ser utilizado durante cirurgias realizadas em crianças que sofrem de epilepsia. Cerca de 25% dos casos não respondem ao tratamento clínico.

 

O robô vai auxiliar os médicos a inserirem eletrodos no crânio daqueles que apresentam esse problema de saúde para que o cérebro possa ser monitorado durante uma crise, fornecendo dados precisos aos profissionais.

 

Com a tecnologia, a operação se tornará muito mais segura, rápida e eficiente do que aquelas realizadas hoje em dia nos hospitais. O robô conta com câmeras e sensores de distância e um sistema de inteligência artificial analisa as imagens e os dados captados.

 

O novo “robô-neurocirurgião” está sendo construído e testado dentro de um dos hangares do Departamento de Engenharia Aeronáutica, por ser um equipamento que geralmente é utilizado na fabricação de aviões, mas que agora está sendo adaptado para auxiliar profissionais da saúde.

 

Na prática, a partir de imagens em 3D do cérebro do paciente recebidas on-line, a máquina irá auxiliar os profissionais de saúde a interpretá-las e a calcular exatamente onde os eletrodos devem ser inseridos. Assim, o procedimento cirúrgico também será bem mais rápido.

Compartilhar:

Leia Também