Síndrome de Burnout é reconhecida como doença ocupacional pela OMS

quinta-feira, 05 de maio de 2022

Segundo a OMS, o esgotamento emocional é a maior causa de afastamento de trabalhadores nas empresas. E foi baseada nessa estatística, que a organização reconheceu a Síndrome de Burnout como doença ocupacional.

 

Na prática, esse reconhecimento significa que agora estão previstos os mesmos direitos trabalhistas e previdenciários assegurados no caso das demais doenças relacionadas ao emprego.

 

O anúncio foi feito no dia 1º de janeiro, mas somente agora, no final do primeiro trimestre do ano, é que as empresas estão se adaptando de fato com políticas de prevenção e cuidados para os colaboradores.

 

Essa classificação, segundo o direito do trabalhador, torna de forma direta a ligação da doença com o trabalho. No entanto, para que o colaborador faça uso dos direitos trabalhistas, é preciso comprovar a relação da doença com o trabalho.

Compartilhar:

Leia Também