Suplementação de zinco pode ajudar na recuperação de covid-19

segunda-feira, 15 de março de 2021

Um estudo realizado por médicos e pesquisadores do Hospital del Mar e da Universidade Pompeu Fabra, na Espanha, avaliou os níveis de zinco no sangue de pacientes com covid-19 e a reação do organismo.

 

O acompanhamento mostrou que os pacientes infectados pelo coronavírus com níveis mais baixos de zinco no sangue sofrem uma mortalidade mais elevada e um tempo de recuperação mais longo. A mortalidade neste grupo de pacientes foi de 21%, em comparação com 5% daqueles com níveis mais elevados de zinco no sangue.

 

O estudo foi feito com 249 pacientes com idade média de 65 anos.  O grupo de pesquisadores também realizou testes in vitro em que se demonstrou o efeito protetor deste elemento na limitação da proliferação do coronavírus em células humanas.

 

Por isso, os pesquisadores acreditam que suplementar esses pacientes poderia reduzir a mortalidade e acelerar a recuperação dos mesmos. Os pesquisadores agora propõem iniciar ensaios clínicos sobre a suplementação com zinco de pacientes com níveis baixos e a implementação de programas de suplementação com este elemento em pacientes para reduzir o impacto da pandemia.

Compartilhar:

Leia Também