Estudo diz que ter alguém que nos ouça melhora a saúde do cérebro

domingo, 29 de agosto de 2021

Nova pesquisa mostra a relação entre ter alguém com quem se possa conversar e uma melhor resiliência cognitiva, que pode ser considerada uma espécie de amortecedor para o envelhecimento do cérebro.

 

Essa é uma medida para avaliar a habilidade do cérebro de funcionar melhor do que o esperado numa determinada idade ou num quadro com alterações provocadas por enfermidades. Exercício, interações sociais positivas e atividades que estimulem a mente estão na lista de benefícios.

 

Os pesquisadores se basearam em dados fornecidos por mais de 2 mil participantes de um estudo, com idade média de 63 anos, que vêm sendo acompanhados ao longo dos anos. Sua resiliência cognitiva era medida pela relação entre o volume cerebral e o padrão de cognição.

 

O interessante é que o trabalho foi capaz de mapear os danos de uma interação social de baixa qualidade na faixa dos 40 e 50 anos. Aqueles sem interlocutores com os quais pudessem dialogar e desabafar eram quatro anos “mais velhos” que seus pares que dispunham de um bom ombro amigo. Recomendação: tenha alguém para conversar.

Compartilhar:

Leia Também