Teste mostra que reforço após doses de Pfizer e de AstraZeneca aumenta proteção

sexta-feira, 10 de dezembro de 2021

Um estudo publicado nesta semana aponta um aumento da resposta imune após testes com reforço de seis vacinas aplicadas em pacientes que já tinham completado o esquema vacinal da Pfizer ou da AstraZeneca contra a covid.

 

O ensaio randomizado e duplo cego (pacientes escolhidos em sorteio e sem o conhecimento dos autores) envolveu 2.878 adultos com mais de 30 anos. Os pesquisadores avaliaram a resposta imunológica, e não a eficácia, apesar de elas estarem relacionadas.

 

Durante os ensaios realizados em 2020, antes da aplicação em centenas de países, as duas doses da AstraZeneca e da Pfizer mostraram 79% e 90% de eficácia contra hospitalização e morte devido à doença. Mas após alguns meses há uma redução de proteção.

 

Os dados de efeitos colaterais mostraram que todas as vacinas são seguras para dose de reforço, com níveis aceitáveis de eventos inflamatórios, como dor no local da injeção, dor muscular e fadiga.

Compartilhar:

Leia Também