Cientistas brasileiros desenvolvem novo teste para diagnóstico da hanseníase

sexta-feira, 17 de setembro de 2021

Cientistas brasileiros das Universidades Federais de São Carlos e do Paraná patentearam um teste sorológico para detectar a hanseníase. O novo teste é feito com uma amostra de sangue.

 

Portátil, barata, pouco invasiva e muito sensível, a novidade ajudará a interromper a transmissão da doença e auxiliará os médicos no tratamento. Isso porque identifica anticorpos contra a bactéria causadora da doença, em poucos minutos.

 

Há dez anos os cientistas vinham buscando soluções para interrupção da transmissão da doença. O teste será um aliado científico valioso por permitir também mapear os casos em comunidades em que a hanseníase é endêmica, como em alguns estados do Centro-Oeste e do Norte do Brasil.

 

Considerada uma doença tropical negligenciada, a hanseníase é responsável pela incapacidade física de 3 a 4 milhões de pessoas no mundo. Anualmente, 200 mil novos casos são diagnosticados e, deste total, 14% são do Brasil. A nova tecnologia pode ajudar muito, já que a hanseníase em diagnóstico precoce é tratável e  assim que o paciente começa a tomar a medicação, o bacilo não é mais transmitido.

Compartilhar:

Leia Também