Tecnologia brasileira quer transformar resíduo da produção de etanol em hidrogênio verde

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2022

A vinhaça é um resíduo poluente gerado pela produção de etanol. Ao ser processada, ela costuma ser utilizada como adubo. Porém, transportar este resíduo até as plantações é um processo caro e trabalhoso para as usinas e que pode ser danoso aos lençóis freáticos.

 

Mas pesquisas vêm sendo realizadas para aprimorar todo esse processo. Um desses trabalhos é feito no Laboratório de Células a Combustível, na Escola Politécnica da USP.  A meta é desenvolver um reator voltado para a realidade da indústria sucroalcooleira nacional.

 

A vinhaça tem 95% de água em sua composição. A ideia é que por meio desse reator seja possível quebrar as moléculas de água para gerar oxigênio e hidrogênio verde.

 

Com ampla aplicação, o hidrogênio verde pode ser utilizado, por exemplo, na produção da amônia que entra na composição de fertilizantes. o oxigênio puro pode ser utilizado para a combustão do bagaço da cana-de-açúcar.

 

Outra vantagem do reator é fazer com que a vinhaça fique mais concentrada – a cada um litro de etanol são produzidos cerca de 10 litros de vinhaça.

Compartilhar:

Leia Também