Uso da telemedicina pode promover saúde em locais desassistidos

sexta-feira, 20 de maio de 2022

Diante da emergência sanitária causada pela covid, a telemedicina foi utilizada em caráter emergencial. Agora, a Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei, que regulamenta o atendimento remoto e torna essa prática permanente no Brasil.

 

O projeto utiliza também o termo telessaúde, que engloba telemedicina, teleodontologia, telepsicologia, telenutrição e outros. A lei se orienta em valores de bioética e segue a Lei Geral de Proteção de Dados.

 

Foram detalhados também alguns princípios: o profissional de saúde deve ter autonomia e o paciente tem direito ao consentimento livre, além da à recusa do atendimento na modalidade de telessaúde. Outro item importante é a confidencialidade de dados.

 

Segundo pesquisa da Associação Brasileira de Planos de Saúde, nos últimos dois anos foram realizados 6 milhões de teleconsultas no país, com taxa de resolução de 90%. Os números demonstram que a regulamentação é positiva e também incentiva que os conselhos federais de classe desenvolvam boas práticas a respeito do tema.

Compartilhar:

Leia Também