Pesquisa da USP indica que o vírus da zika pode combater tumores cerebrais

quinta-feira, 17 de junho de 2021

Pesquisadores do Centro de Estudo sobre Genoma Humano e Células-Tronco da USP se dedicam a entender o vírus da zika. O estudo teve início em 2017 e ainda está em andamento.

 

A mais recente descoberta pode revolucionar o combate a alguns tipos de câncer. Isso porque o vírus se mostrou eficaz no tratamento de tumores agressivos do sistema nervoso central.

 

A ideia de associar o patógeno ao câncer cerebral surgiu após a observação de que ele tem preferência pelas células progenitoras neurais dos fetos e os tumores deste tipo possuem células muito parecidas com essas.

 

Na primeira etapa, a cepa brasileira, produzida pelo Instituto Butantan, foi testada in vitro utilizando linhas de células tumorais. O resultado veio após apenas três dias, quando as células tumorais foram totalmente eliminadas e as sadias não foram infectadas nem destruídas.

 

Os pesquisadores querem iniciar os estudos em humanos. Em um primeiro momento em crianças com câncer que estejam em cuidados paliativos, ou seja, nenhum tipo de terapia tem mais eficácia.

Compartilhar:

Leia Também