USP irá iniciar testes para o tratamento de depressão grave com campos eletromagnéticos

segunda-feira, 19 de outubro de 2020

O Instituto de Psiquiatria, do Hospital das Clínicas de São Paulo, pretende iniciar em março de 2021 testes para identificar os efeitos terapêuticos de campos magnéticos para o tratamento de depressão grave.

 

 

A técnica “magneto convulso terapia” permite a indução de convulsões para a estimulação do cérebro com ondas magnéticas, semelhantes às utilizadas nos aparelhos de ressonância magnética.

 

 

O estudo contará com 100 voluntários que sofrem de depressão grave. A pesquisa já foi aprovada e está prevista para entrar em execução em março de 2021.

 

 

O tratamento libera neurotransmissores como a serotonina, dopamina, noradrenalina e glutamato, que são responsáveis por propagar os impulsos nervosos do cérebro, mantendo o bem-estar emocional.

 

 

A vantagem da nova técnica em relação aos tratamentos atuais é que ela provoca menos efeitos colaterais, como perda de memória.

 

Compartilhar:

Leia Também