Voz da mãe pode diminuir dores em bebês prematuros, diz estudo

sábado, 02 de outubro de 2021

Atos simples como falar ou cantar para o recém-nascido, tem efeito similar a alguns fármacos. Mas a voz tem que ser a da mãe! É o que mostra um estudo da Universidade de Gênova, na Itália, que conclui que ouvir a voz da mãe pode servir como uma espécie de analgésico e reduzir as dores em crianças prematuras.

 

A pesquisa foi desenvolvida na intenção de entender que substâncias poderiam substituir os medicamentos que, em quase todos os casos, não são recomendados para bebês prematuros. No caso dos analgésicos, eles podem interferir no desenvolvimento do sistema nervoso do bebê.

 

Por esse motivo, os pesquisadores iniciaram uma busca para substituir o medicamento. Para chegar aos resultados, o grupo acompanhou bebês do Hospital Parini, que nasceram antes da 37ª semana de gestação.

 

Eles notaram que os níveis de dor do bebê caiam de 4,5 para 3,8 quando as mães cantavam e para 3 quando elas conversavam com os recém-nascidos. Além disso, percebeu-se também que os níveis de ocitocina, um dos hormônios da felicidade, também aumentavam com a presença e a voz das mães.

Compartilhar:

Leia Também