6 maneiras eficazes de trazer mais gentileza para a sua vida e para o mundo

sexta-feira, 13 de novembro de 2020

A gentileza virou artigo de luxo, é uma das coisas mais raras de se ver no nosso dia e, por vezes, parece que nós vivemos num mundo exageradamente hostil. Estamos mais conectados do que nunca com as mídias sociais e do ciclo de notícias 24 horas, por isso é fácil ficar saturado com conflitos, violência, guerra, política e outras formas de discórdia no mundo que nos rodeia. Fica ainda pior para pessoas que trabalham em alta tensão, como as que trabalham com manutenção de indústrias, médicos, enfermeiros e outros envolvidos com serviços de emergência, assistentes sociais, advogados criminais ou simplesmente pessoas comuns que cuidam de familiares idosos ou doentes. A vida pode se tornar um ciclo de estresse e trauma, e essas pessoas podem começar a sofrer de “falta de compaixão”, ou seja, perda da empatia e falta de capacidade de gerar gentileza em nosso meio.

 

 

Quer se trate da exposição exagerada às “más notícias” ou exposição exagerada ao sofrimento de pessoas ao nosso redor, podemos começar a mostrar sintomas físicos, mentais e emocionais. Não há como negar que este tipo de negatividade é ruim para a nossa saúde. No entanto, estudos têm mostrado que a gentileza e generosidade não são apenas grandes para a nossa saúde, eles são contagiosos e se espalham sozinhos.

 

 

Quanto mais doamos e recebemos gentilezas, mais nos tornamos doadores e receptores dispostos a querer doar e receber. Além disso, o altruísmo (amor ao próximo) e a empatia (capacidade de se colocar no lugar do outro) foram encontrados em outras espécies, não apenas humanos. O altruísmo biológico, consciente ou não, é evidente em animais e insetos similares, especialmente aqueles que têm sistemas muito bem organizados, como formigas e abelhas, por exemplo. Então, como vamos encontrar o equilíbrio entre dar e receber gentilezas? Como podemos viver nossas vidas de forma que aumentemos a nossa gentileza e nossa natureza altruísta, sem deixar que os obstáculos da vida destrua essa capacidade?

 

 

Juliana Breines, Ph.D do Centro de Ciências Greater Good, diz que há várias maneiras de atingir esse equilíbrio. Devemos nos esforçar para sentir a conexão uns com os outros. Nós também podemos questionar o mundo e o que acontece no universo que nos rodeia, aproveitar a natureza, desfrutar de nossa humanidade e do que ela pode nos proporcionar. Caminhar em um lugar aberto ou apenas apreciar a vista de um edifício bem alto, andar sobre uma ponte ou deitar na grama para olhar as nuvens.

 

 

A gentileza não tem de ser desgastante ou uma tarefa árdua. A gentileza como um conceito é uma maneira de trazer generosidade e positividade para os outros como a nós mesmos. Aqui estão 6 maneiras de trazer mais gentileza em sua vida:

 

 

1. Sorria

 

 

Sorria tanto quanto você puder. Não apenas para os outros, mas também para si mesmo. Se olhe no espelho e sorria. Esteja consciente de sua expressão facial regularmente. Às vezes, estamos apenas concentrados ou pensando e não nos damos conta de que estamos de cara feia. Se envolva em coisas que te fazem rir; ria de forma sincera. Não há nada mais gratificante do que rir histericamente em algo até que caiam lágrimas e transformar essa risada em algo contagiante.

 

 

Quando você está fora de casa, comunique-se positivamente com outras pessoas, mostre-se feliz e sorria. Basta fazer um esforço e antes que você perceba, isso vai se tornar um hábito. Tente esta experiência na presença de crianças. Se você sorrir para elas, elas quase sempre sorriem de volta.

 

 

2. Aprenda a doar

 

 

A generosidade é algo muitas vezes deixado de lado. Dê suas coisas fora. Todos nós temos muito lixo e muitas coisas se tornaram descartáveis. Não tente vender móveis antigos ou dispositivos eletrônicos. Você não vai recuperar muito do que você gastou de qualquer maneira, porque as coisas perdem valor com facilidade.

 

 

Roupas, itens de cozinha, eletrodomésticos, brinquedos para crianças, doe tudo! Você também pode doar a uma série de instituições de caridade que vai passá-los para alguém passando por algum tipo de necessidade. Coisas maiores como carros podem ser facilmente repassados ​​para a família, amigos e vizinhos. Quando é hora de substituir alguma coisa e você pode se dar ao luxo de comprar o novo item sem dificuldade, esqueça suas perdas e jogue o velho fora ou doe para quem ainda precisa.

 

 

Além disso, doar para a caridade. Torná-lo um compromisso anual. Escolha uma instituição de caridade ou duas que você sente apaixonadamente e dê-lhes uma doação em dinheiro a cada ano. É dedutível de impostos e se você fizer isso, dar-se permissão para dizer não a quaisquer outras instituições de caridade que você se deparar com doações de solicitação.

 

 

Você não pode ajudar a todos, mas ter uma ou duas instituições de caridade ou organizações sem fins lucrativos que você confie para ajudar contribuirá para que esses sentimentos de empatia se tornem um hábito.

 

 

3. Aprenda a receber

 

 

Não se sinta mal quando receber ajuda. O orgulho apenas dificulta as coisas. Quando alguém lhe oferecer ajuda, aceite. Quando outras pessoas demonstram preocupação contigo e tentam aconselhar de alguma forma, procure escutar os que as mesmas tem a dizer. Dar-se a permissão para receber ajuda abertamente tem benefícios que muitas vezes não reconhecemos. A ajuda é uma via de mão dupla, é boa para quem ajuda e para quem é ajudado. As pessoas se sentem bem quando estão ajudando, assim como você quer se sentir bem quando você ajuda, por isso, aprender a receber é de extrema importância para fazer o ciclo da gentileza girar. Muitas vezes nos sentimentos sem jeito, mas não dificulte as coisas, basta receber sem precisar fazer nada em troca, apenas dizer obrigado. Sentimentos de apreço e gratidão são formas de experimentar a gentileza que nós não costumamos considerar.

 

 

4. Converse

 

 

Use suas palavras. Não tenha medo de confronto ou julgamento. Às vezes temos informações valiosas que devemos compartilhar. Use sua intuição e compartilhe suas experiências. Quanto mais falamos com as pessoas sobre nós mesmos, mais formamos vínculos importantes com outros seres humanos.

 

 

Cumprimente de forma sincera; pergunte a alguém como seu dia está indo. Você não tem que dizer a estranhos sua história de vida, mas fazer contato visual, projetando carinho e fazer uma verdadeira conexão humana com as pessoas é inestimável.

 

 

5. Aprenda a ouvir

 

 

Por mais que você queira falar o tempo todo, procure ficar quieto e ouça. Quando as pessoas se abrem para você ou têm algo a dizer, não basta ficar quieto à espera de sua vez de falar, como se não tivesse escutando.

 

 

Não podemos prever o futuro, a conversa jogada fora de ontem pode ter mudado todo o seu pensamento sobre um assunto hoje. Você nunca sabe quando essa sabedoria virá a calhar. Ouvir também nos ensina a ler nas entrelinhas. Quando ouvimos alguém de forma honesta, nós não apenas ouvimos as suas palavras como também lemos sua linguagem corporal e suas expressões faciais. Aprendemos a entender o que é impossível de ser dito e qual mensagem realmente está sendo passada.

 

 

6. Cuide

 

 

Nós nos tornamos tão obcecados em nossas próprias necessidades que não conseguimos realmente criar uma preocupação com os outros. Muitas vezes é um verdadeiro ato de autopreservação, especialmente se estamos sofrendo com a falta de compaixão acima mencionada. No entanto, se percebermos que cuidar dos outros é realmente cuidar de nós mesmos e se entendermos que estamos todos conectados, podemos trazer mais gentileza em nossas vidas.

 

 

Fique a par do que está acontecendo no mundo. Escolha sabiamente suas fontes de informação e compreenda a realidade do que as pessoas ao redor do mundo estão enfrentando. A gentileza é algo que podemos nos dar ao luxo de dar em todos os continentes, todas as culturas, para outras espécies e até para o ambiente.

 

 

A gentileza deve se tornar um modo de vida. Isso não significa negar nossas emoções negativas ou deixar as pessoas se aproveitam de nós. Significa sempre ter a intenção de contribuir com algo positivo; por vezes, mesmo em face da adversidade. Com a prática, o ato de gentileza se torna um hábito e nós ficamos mais forte no processo; ela nos ensina a discernir quando é apropriado ser altruísta e quando é necessário ser egoísta. Se a intenção de ser altruísta e ajudar os outros é genuína, então o resultado será sempre construtivo.

 

 

Lembre-se: Gentileza gera gentileza!

 

 

Por Rômulo/Vida em Equilíbrio

 

 

 

 

Compartilhar:

Leia Também