Entenda o que são as ordens do amor

segunda-feira, 21 de março de 2022

A forma como nos relacionamos e interagimos com os nossos familiares pode gerar consequências  que se estenderão por gerações.

 

De acordo com a constelação familiar, para que esses problemas e situações indesejadas sejam evitadas, é muito importante que todos do grupo familiar sigam as dinâmicas das leis universais, chamadas de as Ordens do amor.

 

O que são as ordens do amor?

 

Existem três leis universais que regem as dinâmicas familiares, são elas: A lei da Hierarquia, A lei no equilíbrio e A lei do pertencimento.

 

Essas leis também são conhecidas como as Ordens do Amor. Esses princípios são a base da constelação familiar.

 

Lei da Hierarquia – o mais velho precede o mais novo

 

De acordo com essa lei, as relações familiares precisam seguir a ordem hierárquica. Os mais antigos vêm primeiro, por tanto precisam ter prioridade sobre os mais novos.

 

Seguindo essa ordem, os pais vêm primeiro então são mais antigos que os filhos. Se os filhos se sentem ou se comportam como maiores que os seus pais, tendo algum tipo de autoridade sobre eles, essa lei é quebrada e gera desequilíbrio no sistema familiar.

 

É importante ressaltar que esses desequilíbrios são gerados, na maioria das vezes, de maneira inconsciente. Muitas vezes, a intenção é de ajudar ou querer resolver alguma situação, e por falta de conhecimento dessas leis, as pessoas acabam tendo atitudes que invertem a ordem hierárquica.

 

Para te ajudar a entender, vamos dar um exemplo. Filhos podem exagerar ao oferecer ajuda e podem acabar de sentindo maiores ou mais suficientes que seus pais. Essa percepção gera sentimentos, ações e uma quebra da hierarquia familiar.

 

É preciso dizer que o problema não é o filho oferecer ajuda, mas o que não pode acontecer é essa percepção de superioridade por parte do filho, assim como os pais não podem ser tão exigentes com os filhos.

 

Ou seja, os filhos podem e devem ajudar seus pais, desde que tenham consciência do respeito à hierarquia da família. E os pais podem receber ajuda dos filhos, desde que estejam conscientes de que não devem cobrar ou fazer exigências.

 

Lei do equilíbrio – entre o dar e receber

 

Existe uma ordem natural no processo de dar e de receber.

Você já presenciou algum relacionamento em que só uma das partes só da e a outra só recebe?

 

Esse é um bom exemplo de comportamentos que geram desequilíbrio por estarem em contra fluxo com a lei do equilíbrio.

 

Essa lei é um complemento da lei da hierarquia, pois os pais, que são mais antigos e maiores que seus filhos, doam e os filhos, que são menores, se abrem para receber.

 

Em relacionamentos de casal, por exemplo, não há essa questão de hierarquia, porém deve ocorrer uma relação equilibrada e recíproca.

 

Se, em um relacionamento de casal, uma pessoa apenas dá e a outra só recebe, gera um desequilíbrio e a pessoa que recebeu muito pode manifestar três tipos de comportamentos:
– Ser grato pelo que recebeu;
– Atacar ou menosprezar a outra pessoa;
– Trair ou abandonar a relação.

 

Lei do pertencimento

De acordo com essa lei, todos têm o direito de pertencimento em um sistema familiar e não podem ser excluídos. Mesmo que aconteçam situações reprováveis, não deve ser excluído.

 

Se por algum motivo a pessoa for excluída pelo grupo familiar, os demais membros acabam sofrendo consequências ou reproduzindo os mesmos comportamentos que foram reprovados.

 

A lei do pertencimento sempre busca de algum modo promover a inclusão de todas as pessoas da família para que o equilíbrio seja retomado.

 

Quando as leis ou as Ordens do Amor são respeitadas e influenciam os relacionamentos familiares, existe harmonia e todos os envolvidos se beneficiam.

 

 

Fonte: Instituto Brasileiro de Neurodesenvolvimento

Compartilhar:

Leia Também