Não vemos as coisas como elas são, vemos as coisas como nós somos

quinta-feira, 07 de maio de 2020

O corpo e a mente estão interligados e atuam um no outro; um pensamento negativo
influenciará imediatamente sua respiração, sua tensão muscular, as sensações, e isso volta a
influenciar aquilo que estamos pensando.

 

Como um ouroborus (símbolo onde a serpente morde a própria cauda) tudo que influencia o
plano dos sentimentos e das emoções afeta os nossos pensamentos, comportamento e nossa
fisiologia. Esse mundo interno e sua agitação, influenciam o organismo a produzir uma
quantidade maior de hormônios e cortisol, e isso em desequilíbrio afeta nosso sistema de
defesas do organismo.

 

Todas as nossas glândulas produzem hormônios e cada uma delas está relacionada a um chakra.
Pensamentos doentios bloqueiam esses canais energéticos, ficamos sem energia, com
pensamentos confusos.

 

Algumas pessoas passam por muitos problemas, mas mesmo assim parecem felizes e satisfeitas
com suas vidas. A gente até comenta o quanto essa pessoa é alto astral: percebemos uma
delicadeza nas suas atitudes, nas suas palavras e ações, até mesmo através da fisionomia
percebemos uma irradiação de energia, uma força que se projeta a sua volta.

 

Outras pessoas parecem ter uma predisposição a pensamentos tristes e negativos: não importa
qual situação estejam passando, sempre vão reclamar. Seu olhar fica sem brilho, o corpo perde
sua tonicidade e muitas vezes nos sentimos mal perto de uma pessoa assim. Se esse quadro já
dura mais de dois anos, esse mau humor crônico é chamado de transtorno distímico: pessoas
que não conseguem conviver com ninguém, são muito críticas, para elas ninguém presta.

 

Não podemos subestimar o poder da nossa mente, sabemos que o riso tem um efeito de
melhorar nossa saúde, o riso estimula a produção de endorfinas um tipo de hormônio benéfico
ao nosso sistema imunológico.

 

Hoje temos vários programas que buscam desenvolver o otimismo. Aqui no Brasil, inclusive,
existe um trabalho excelente com palhaços e humoristas que vão a hospitais levar o riso e a
descontração aos pacientes internados, com resultados surpreendentes na recuperação do
organismo.

 

Temos a capacidade de ver coisas boas e más, a importância que atribuímos a cada um desses
acontecimentos é que costuma definir nossa experiência de vida.

 

O pessimismo é uma crença de que o mundo é terrível e o pior pode acontecer a qualquer
instante. A pessoa dá muita ênfase ao lado escuro das coisas, esse falso julgamento da realidade
leva a manifestação desproporcional das emoções.

 

Fazemos o tempo todo um diálogo interno sobre as opções que temos para enfrentarmos e
superarmos os acontecimentos diários. Optar pelo bem imediatamente cria uma atitude mental
positiva, gerando um equilíbrio maior que percorre nosso corpo.

 

Nós é quem criamos nossas próprias emoções pois somos a fonte geradora de todas elas. Não
importa o que está acontecendo na sua vida, e sim COMO você está passando por isso, o que
está acontecendo em você.

 

Várias pesquisas têm afirmado que reprimir e controlar excessivamente as emoções e
sentimentos, ou ainda a incapacidade de expressá-los, pode levar ao desenvolvimento de uma
tensão exagerada, uma angústia, à ansiedade, chegando até a uma depressão.

 

São as chamadas camadas de proteção, ou couraças, que geram muita rigidez no organismo,
interferindo no fluxo natural da energia pelos meridianos do corpo, bloqueando os chakras e
interferindo no funcionamento dos órgãos, gerando as doenças psicossomáticas, como
enxaquecas, dores no estômago, alergias, insônias e outras.

 

O problema do pessimista é que muitas vezes ele fica programando tantos problemas que
desiste antes de tentar; são pensamentos negativos que ficam voltando na mente, fazendo com
que a pessoa desista por temer enfrentar uma derrota, são pessoas dominadas pelo medo e pela
covardia de viver. Costumam elaborar justificativas para si mesmos e para os outros, onde
sempre buscam ter a razão, levando a estados ainda mais desanimadores.

 

Para um pessimista dar o primeiro passo é muito difícil, mas essa é a melhor solução: agir.
Buscar fazer alterações no estilo de vida, no modo de pensar, buscando modificar hábitos
negativos e velhos padrões, e principalmente trazer a mente para o aqui agora, não deixando os
pensamentos fugirem para o futuro.

 

Muitas vezes queremos controlar todos os acontecimentos do futuro, criamos expectativas
exageradas, e o que está por trás disso muitas vezes é um medo enorme de sofrer. Mas todo esse
esforço é ineficaz porque vamos passar por muitos problemas ao longo da vida, e sempre é
importante perguntar: “como vamos reagir naquele momento?” – essas atitudes é que vão
mostrar nosso bom senso, nossa sabedoria interna, firmeza de propósito.

 

Enxergar nossos desequilíbrios como mensageiros, em um ou mais níveis do nosso ser, seja no
nível físico, emocional ou bioenergético, identificar a origem e o que isso está nos tentando
dizer, é essencial para a volta ao equilíbrio.

 

Paz e Luz
Adriana Splendore

Compartilhar:

Leia Também