O que fazer para lidar com o luto

segunda-feira, 09 de novembro de 2020

O luto é uma experiência única que cada pessoa elabora de um jeito. É exatamente por isto que não podemos julgar a forma como cada indivíduo lida com esta situação. Há quem entre na negação, não se permitindo entrar em contato com a perda e há aqueles que não se permitem nem rir ou chorar.

 

 

O que sabemos é que não existe um tempo certo para o enfrentamento do luto, para algumas pessoas pode demorar mais tempo, já para outras pode passar mais rápido. Os primeiros meses do luto até um ano são aqueles mais difíceis, já que as memórias do ente querido que se foi ainda estão muito presentes.

 

 

Acolher a dor do luto é um passo importante a se tomar, ser mais tolerante e compreensível com você mesmo e saber que isto de alguma forma uma hora vai passar. Não podemos fugir do sofrimento, pois ele é parte de uma condição humana.

 

 

Lembrar que a falta vai ser para sempre, mas a dor não precisa ser. Neste momento, com a pandemia estamos enfrentando lutos coletivos e sentimos o impacto disto e com relação ao enlutado o que podemos fazer é ouvir.

 

 

Com relação a crianças e idosos, o que não podemos fazer é negar, além de não se culpar pelo ocorrido. Com relação aos idosos, o incentivo a fazer atividades prazerosas, como praticar exercícios físicos, fazer tricô, pintar , pode ser uma boa forma de elaborar o luto. Explicar para as crianças na forma de fantasia, também não é aconselhável, pois o melhor a fazer é explicar para elas a verdade, já que dependendo da idade, elas já podem compreender.

 

 

Cada cultura tem seu rito de passagem, e estes também auxiliam na elaboração do luto. Respeitar estes ritos e as crenças de cada um é uma maneira de entender que apesar das perdas, as memórias daquele ente querido que partiu, sempre estarão presentes e que sobretudo é possível trabalhar a aceitação e entender que a vida é feita de ciclos que se abrem e encerram a todo momento.

 

 

Quando a dor ainda permanece presente, depois de muito tempo e a pessoa se sente impotente diante da perda é importante procurar auxílio profissional.

 

 

 

Por: Andrea Guimarães Rothschild

http://focoempsico.com.br

 

 

Compartilhar:

Leia Também