Positividade tóxica

quarta-feira, 26 de maio de 2021

Muito se fala sobre a importância da positividade. É inegável os benefícios que uma postura positiva trás para a nossa vida. Pessoas positivas são mais bem-humoradas, resilientes, não desistem frente aos primeiros desafios, persistem na realização dos seus objetivos, costumam ser incentivadoras e alegres. Esses reflexos são sentidos diretamente em suas atividades diárias, nos seus relacionamentos e na sua saúde física e emocional. Entretanto somos sempre humanos, nem sempre estamos bem e nem sempre entendemos o que é realmente ser uma pessoa positiva.

 

É importante lembrar que a atitude positiva jamais deve se tornar uma negação da realidade. Quem ignora os desafios diários e a realidade das próprias emoções sob a justificativa de que “está tudo bem”, sem ter a coragem para analisar o que está acontecendo e buscar estratégias para realizar as mudanças necessárias se isola em uma bolha de negação enquanto tudo em volta está sendo consumido.

 

A positividade tóxica é uma falsa positividade. Ela é passiva, ilusória, negacionista e muitas vezes cruel, pois mantém as pessoas presas em situações conflitantes e dolorosas e as faz acreditar que devem se sentir gratas por isso, que apenas ver os pontos positivos basta. A ditatura do “good vibes” ou o personagem da pessoa espiritualizada que nunca está mal criam sorrisos artificiais que negam a realidade humana. Todos temos diversas emoções e cada uma delas cumpre uma importante função em nós. Cada emoção é uma mensagem. Negar nossas emoções pela perspectiva de que precisamos estar sempre bem é ficarmos analfabetos diante da nossa linguagem interior.

 

Precisamos aprender a ler o que dizem as emoções. Ser positivo não é negar sentimentos como a raiva, a tristeza ou a decepção. Ser positivo não é “negar o incêndio” acreditando que devemos ser gratos pelo calor. O verdadeiro positivo valoriza as coisas boas, não é um pessimista que vê apenas o pior, mas sabe reconhecer o que não está bom. O verdadeiro positivo é prático. Ele acredita no melhor porque busca caminhos para que isso aconteça. Não espera que simplesmente tudo caia do céu. Pode acreditar na espiritualidade, mas sabe que deve fazer a sua parte. Entende que nem sempre vai estar bem e que não há nada errado com isso. Aceita seus sentimentos densos, mas não se paralisa neles. Uma pessoa assim não nega uma realidade ruim, e sim busca enfrentar e crescer com ela. Porque o positivo de verdade além de consciente com os próprios desafios é também empático e respeita a dor alheia. Sabe passar uma perspectiva otimista sem menosprezar suas dificuldades ou invadir a sua vida.

 

A positividade sempre vai fazer bem, quando bem usada, quando verdadeira e quando contribuir para o nosso crescimento e daqueles que estão a nossa volta.

 

Por Alexandro Gruber

Compartilhar:

Leia Também